Movimento para os espaços colaborativos

O grupo de cadeiras Keyn é uma coleção esteticamente versátil de cadeiras de reunião e de visitantes para espaços colaborativos que proporcionam conforto imediato, suportam os movimentos individuais e mesclam-se com uma grande variedade de ambientes.

Desempenho

Para que possamos ficar sentados de uma forma mais saudável, as pessoas precisam se mexer e mudar de posição com frequência. A Keyn torna isso possível, respondendo aos movimentos do corpo. O seu mecanismo inovador permite que a estrutura em concha de peça única, com encosto e assento, deslize suavemente e recline até 10 graus, para que as pessoas sejam encorajadas a se movimentar de modo natural e sentir-se confortáveis. Esta sensação de conforto permite que a mente se concentre, o que pode ajudar a aumentar a produtividade durante toda a jornada de trabalho e durante as reuniões.

O interior refinado do molde perfurado da concha reflete a cor da cadeira e agrega uma profundidade textual, distinguindo ainda mais o design e contribuindo com a sua estética simples. O molde perfurado também proporciona aeração para as costas.

Cadeira lateral branca Keyn com um assento de tecido azul, visto de trás e mostrando a concha perfurada de uma só peça.
Cadeira preta Keyn com base de cinco estrelas, vista de um ângulo.

Design

Uma consideração essencial da abordagem de design da forpeople foi garantir que cada variação da cadeira tivesse o mesmo encanto universal. Um design refinado foi alcançado com base em quatro partes principais: a base, o embalo, a concha do assento e uma seleção de opções de estofamento. A disponibilidade global da Keyn faz com que seja uma opção atraente para clientes com outras unidades ao redor do mundo que buscam consistência de local para local.

Produtos | 0:30

Movimento Responsivo

Quando você se move e ajusta sua postura, Keyn responde.

Vídeo mostrando como a cadeira lateral Keyn suporta movimentos saudáveis ​​no trabalho.

Produtos

0:30

Movimento ágil

Quando você se move e ajusta sua postura, a Keyn responde.

CTA